quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Parabólica

Documentos - Quem perdeu os documentos, durante os dias de folia, deve ir à Central dos Correios de Pernambuco, na Avenida Guararapes, no Centro do Recife. Lá, num balcão disponível ao público, você pode achá-los.

E o “piso”, virou “teto”

A Secretaria de Administração afirmou que não há descumprimento da Lei do Piso. “Muito pelo contrário, já que o Governo antecipou a implantação integral do piso para setembro de 2008, enquanto a lei diz que Estados e Municípios tinham, até janeiro deste ano, para chegar ao valor de R$ 950,00. Em Pernambuco, já se paga ao professor, com 200 horas/aula e Licenciatura Plena R$, 1.016,00”. Uma professora respondeu: “Sobre a polêmica do "Piso", o Governo do Estado diz que paga o piso salarial ao professor, com 200 horas/aulas, de R$ 1.016,00. Porém, esse valor corresponde ao teto, já que estão incluídas as gratificações. Fora isso, em uma manobra providencial, foram extintos os quinquênios (direito adquirido) e não houve dissídio da categoria no ano que passou. Este ano, o Governo ainda não acenou para qualquer reajuste, trocaram seis por meia-dúzia e continuamos recebemos o pior salário do País. Vou acompanhar a sua coluna para ver a minha nota publicada. Muito obrigada, sucesso sempre e parabéns pela sua imparcialidade e ética no Jornalismo”.

Fedor e... - Após cada dia de Carnaval, o fedor de urina e de fezes tomou conta das ruas, avenidas, becos e vielas do Recife e de Olinda. Os foliões mostraram falta de cidadania, embora os banheiros químicos fossem insuficientes. Em Olinda, o policiamento foi pouco para tanta gente, os carros circularam nos pólos de animação e o trabalho infantil rolou solto na folia. Cadê, a fiscalização. Uma lástima.


Tão “matando” o frevo

Carnaval de todos os ritmos, multicultural e outras baboseiras que, aos poucos, vão colocando o genuíno frevo pernambucano em segundo plano, apenas para atender interesses comerciais e políticos. Tocam samba carioca, axé baiano, reggae, mangue-beat, cúmbia (cubana), rec-beat, DJ e outras desgraceiras. É ridículo o cosmopolitismo musical, ou melhor, a salada de mau gosto, e que dá até dor de barriga.

Por enquanto...

Por enquanto, ainda dão espaços a Getúlio Cavalcanti, Alceu, Spock, Quinteto Violado, Claudionor, Ademir Araújo, blocos líricos e de rua, Homem da Meia-Noite, Elefante, Pitombeira, caboclinhos, maracatu e agremiações de puro frevo. Senão, seria uma tragédia.

“Celebridades”?

Nos camarotes oficiais ou não, jornalistas anunciam as “celebridades” do nosso Carnaval: Ex-Big Brothers, cantores, artistas, “modelos” e apresentadores de TV. Todos, sem talentos, para não dizer medíocres. E ainda urram: “É o melhor Carnaval do mundo!”

E o Galo...

E o Galo da Madrugada, encravado na Ponte Duarte Coelho e de formato estilizado, mas parecia o Pica-pau ou o Saci-pererê. Faltaram penas e até uma das pernas. A opinião popular deve servir de alerta à diretoria do Galo para 2011. Cadê, o bicho original.


Farra? I - Numa vistoria da Corregedoria da Secretaria de Defesa Social, anteontem, no Creed - onde policiais civis e militares esperam julgamentos - foram apreendidas 84 latas de cachaça, garrafas de uísque e energéticos. É de fazer chorar...

Farra? II - Lá, também, acharam notebooks, celulares, modens, facas e constatada a presença de mulheres e crianças. A Corregedoria investiga a festinha e informou que haveria “autorização” da direção do Creed para uma festa carnavalesca.

Saco - Só mesmo cariocas, paulistas e estrangeiros suportam as escolas de samba, companheiros. Monótonas e com letras e músicas péssimas é um chute no saco assistir a esses desfiles. Além de cansativos, dão sono.

Nenhum comentário:

Postar um comentário