terça-feira, 2 de agosto de 2011

Parabólica


Sem homofobia e pacientes crônicos

Com o tema “Escola sem Homofobia”, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco realizará o 2º Encontro Estadual sobre a Diversidade Sexual LGBT do Sintepe. O objetivo é promover a reflexão e discussão sobre a importância do respeito à diversidade e enfrentar os desafios de uma educação sem homofobia. Será no próximo dia 12, no auditório do Sintepe, das 8h às 18h, e mais de 20 entidades estão envolvidas, a exemplo da Comissão de Apoio à Diversidade Sexual e Contra a Homofobia da OAB-PE, do Fórum LGBT-PE, do Grupo Leões do Norte e da Secretaria Estadual de Saúde. É restrito aos sócios do Sintepe e as inscrições vão até esta 6ª.-feira, na sede da entidade ou 2127-8872. Através do “Programa FiqBem”, de gerenciamento de pacientes crônicos, algumas operadoras de saúde analisadas concluíram que a Interne, na Ilha do Leite, obteve redução do custo assistencial em torno de 35%. Houve uma redução das complicações clínicas dos pacientes e 80% foram estabilizados em casa e sem necessidade de internação hospitalar.

MPPE - Determinado em aproximar o Ministério Público cada vez mais da população do Interior, o procurador-geral de Justiça, Aguinaldo Fenelon, acaba de percorrer 2.100 Km em seis dias para levar projetos institucionais a cinco cidades - Afogados da Ingazeira, Arcoverde, Garanhuns, Vertentes e Goiana. Em destaque, os projetos MP contra o Crack e MP nas Ruas. Sempre de olho no combate à criminalidade.

Praça abandonada

O leitor Lúcio Castanha diz que é incrível o descaso da Prefeitura do Recife com a Praça Arnaldo Assunção, no Bairro do Engenho do Meio, uma das maiores da cidade. E enumera os problemas: muito mato, iluminação em total precariedade, sem vigilância, brinquedos quebrados e sem as grades de proteção que foram retiradas pela própria PCR. E denuncia que, à noite, rolam consumo de drogas e prostituição.

Desrespeito aos mortos

Leitores estão indignados com o abandono e a sujeira, no Cemitério de Camaragibe, onde mato, lixo e até caixões expostos deixam as pessoas constrangidas. Os cidadãos pedem mais respeito para com os familiares mortos. É uma vergonha.

Greve

O Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica e Profissional de Pernambuco (Sinasefe) alerta que os servidores podem decretar greve, caso o Governo não apresente uma proposta concreta de reajuste salarial.

Eficiência

Sobre a escuridão denunciada pelo leitor Henrique Lotto, nas proximidades da Associação de Maranguape I, em Paulista, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) informa que realizou os reparos na iluminação pública.

Cine - Vídeo, de até 25 minutos e que tenha cópia em DVD, pode ser inscrito, até quarta-feira, na Mostra Banquete de Curtas. Informações: (81) 9950-0166, 8847-2735, 9150-9482 e cinebanquete@gmail.com.

Pica-Pau - Com João Ferreira (presidente) e Carlos Inácio (vice), a Chapa Oposição com Transparência concorre às eleições, em setembro, do Clube de Campo Sítio do Pica-Pau Amarelo - biênio 2011/2013.

Inglês/Espanhol - Na Central de Cursos Esuda, inscrições para Cursos de Inglês e Espanhol, do nível básico até o intermediário. Informações: 3231.6664, 3222.5043 e www.cceconcursos.com.br.

Operadores - A Faculdade Boa Viagem e a Magnum Investimentos realizam o Curso de Formação de Operadores, com ênfase nos Exames Preparatórios da Ancor e CPA -10 Anbima. Inscrições: 3036.9700 e contato@magnuminvestimentos.com.


PROGRAMAÇÃO DE AGOSTO DOS DOUTORES DA ALEGRIA

MOVIMENTA UNIDADES DE SÃO PAULO, RECIFE E BELO HORIZONTE


Além de levar o trabalho de artistas profissionais e especializados na arte do palhaço a 15 hospitais nas cidades de São Paulo, Belo Horizonte e Recife , a ONG Doutores da Alegria realiza mensalmente nas três capitais uma intensa programação cultural e ações institucionais. Para o mês de agosto , espetáculos teatrais, oficinas e sessão de cinema estão entre as atividades previstas.

São Paulo – No dia 06 de agosto , será realizada a segunda Oficina Para Pais e Filhos de 2011. Criado em 2009, o projeto tem como principal objetivo a diversão familiar, sem videogames ou computadores, voltando ao tempo para que as novas gerações tenham a oportunidade de se divertir do jeito que seus pais se divertiam. A atividade, dirigida, por Wellington Nogueira (Dr. Zinho) e Thais Ferrara (Dra. Ferrara) , inclui jogos tradicionais como pega-pega, estátua, e “o mestre mandou”.

Já no dia 28/8 , o grupo apresenta no Teatro Tucarena o espetáculo “Roda Besteirológica” . R eunião de cenas vividas e experimentadas nos hospitais, é voltado para adultos e crianças e reúne 19 palhaços do elenco paulistano. Em duplas ou trios, eles mostram esquetes criadas a partir das visitas aos leitos pediátricos dos hospitais.

Em relação às visitas hospitalares, atualmente os Doutores estão presentes em oito hospitais da capital paulista: Hospital do Campo Limpo, Hospital da Criança, Hospital Santa Marcelina, Instituto da Criança e Instituto de Tratamento do Câncer Infantil do Hospital das Clínicas, Hospital do Mandaqui, Hospital do Grajaú e Hospital Universitário da USP.


Recife – Na capital pernambucana acontece o projeto “Você quer conversar sobre isso?” . A iniciativa visa abrir um espaço para reflexão sobre o humor no cinema por meio da linguagem do palhaço. Cada sessão conta com um “provocador” para debater o filme. Para a edição do dia 25 de agosto , às 19h00 , na Casa Mecane , foi selecionado “O Garoto”, de Charlie Chaplin. A entrada é gratuita e são disponibilizadas 25 vagas . As inscrições devem ser feitas através dos telefones (81) 3466-2373 ou (81) 3463-0866 e do e-mail doutoresbh@doutoresdaalegria.org.br.


Turbulência na Esplanada

Machado pede atitude de Dilma para combater corrupção no governo federal

Em discurso no plenário da Câmara, o deputado Luiz Fernando Machado (SP) lamentou encontrar, na volta das atividades parlamentares, um cenário político envolto numa nuvem cinzenta de escândalos e malfeitorias. Apesar de o primeiro semestre ter sido tomado por sucessivas denúncias, o tucano esperava que a situação tivesse mudado. Mas, segundo ele, a sociedade observa que a corrupção continua assolando o governo federal.

“A avaliação não é positiva sob o aspecto ético. Em sete meses de governo, a presidente Dilma demitiu dois ministros e também 22 pessoas que supostamente estão envolvidas em episódios não muito republicanos no Ministério dos Transportes”, afirmou. Machado faz referência ao esquema de cobrança de propina na pasta e no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), conforme denunciou a revista “Veja”.

Na opinião do deputado, Dilma encontrou uma herança maldita deixada pelo ex-presidente Lula. “Que é exatamente o legado de corrupção que acompanhamos hoje. A herança existe de corrupção deixada pelo ex-presidente Lula existe”, ressaltou. Para ele, compete à Dilma esclarecer os fatos nada republicanos revelados.

O tucano criticou ainda o excesso de medidas provisórias editadas pela gestora. Segundo o deputado, no primeiro semestre deste ano, foram encaminhadas ao Congresso 25 proposições, número 90% maior do que o analisado no mesmo período de 2010. Machado acrescenta que o Congresso precisa reagir no segundo semestre. O caminho, segundo ele, é a votação de propostas de interesse da população, como as reformas política e tributária.

O parlamentar sugeriu à presidente que adote medida parecida com a do governo de São Paulo, ao produzir uma agenda positiva, voltada para os mais necessitados. Ao contrário da administração federal, que perde muito tempo em atender interesses da base aliada, a gestão paulista prioriza a sociedade, avalia.


Colheita bichada

Há muito tempo não se via tantas rapinagens na máquina pública como no governo do PT

O rol de denúncias de corrupção a investigar no governo federal só cresceu ao longo dos últimos dias. Como destaca a Carta de Formulação e Mobilização Política do Instituto Teotonio Vilela desta segunda-feira (1), neste fim de semana foi a vez do Ministério da Agricultura estrear na ribalta de escândalos do governo Dilma Rousseff. Na lista também estão o Ministério das Cidades, o BNB, a Codevasf e a Funasa, para citar apenas alguns casos. “Há muito tempo não se via tantas rapinagens incrustadas na máquina pública, tudo devidamente ressuscitado pelo petismo”, diz trecho do documento. Leia abaixo a íntegra.

O Congresso retoma os trabalhos nesta semana com uma triste constatação: o rol de denúncias de corrupção a investigar no governo federal só cresceu ao longo dos últimos dias. O Ministério dos Transportes, mais especificamente o Dnit, continua funcionando como uma usina de irregularidades, mas já encontra concorrentes à altura na Esplanada.

Neste fim de semana, foi a vez do Ministério da Agricultura estrear na ribalta de escândalos do governo Dilma Rousseff. Em entrevista à revista Veja, Oscar Jucá, irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que a corrupção na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) “é pior do que no Dnit”.

O padrão repete-se: loteamento de órgãos públicos para desviar recursos para partidos políticos aliados ao petismo. No caso da Agricultura, o PMDB e o PTB. O ministro Wagner Rossi, segundo Oscar Jucá, comandaria o esquema e teria, inclusive, lhe ofertado propina em troca de silêncio. O que é certo nesta história é que nela não há querubins.

A colheita bichada não é, porém, exclusividade da Agricultura. A revista IstoÉ revelou outra central de falcatruas: o Ministério das Cidades. Feudo do PP, a pasta dispõe de orçamento com nada menos que R$ 7,6 bilhões em investimentos previstos para este ano. É a terceira maior cifra da Esplanada e alvo de cobiça dos comensais do condomínio petista.

O ministério dominado pelo Partido Progressista é acusado de liberar verba para obras consideradas irregulares pelo TCU. Obras tocadas por empresas que fizeram generosas doações eleitorais para os “progressistas”. A ponte entre o Ministério das Cidades e os pepistas não poderia ser mais concreta: o secretário nacional de Saneamento da pasta e o tesoureiro do PP são a mesma pessoa, Leodegar Tiscoski.

Há muito tempo não se via tantas rapinagens incrustadas na máquina pública. O PT ressuscitou um modus operandi que a sociedade conseguira extirpar do aparato estatal, ou pelo menos reduzira muitíssimo, com a depuração que se seguiu ao regime militar, aos anos de descalabro do governo José Sarney e à verdadeira farra do boi protagonizada por Fernando Collor. Está tudo de volta, piorado.

São raros os órgãos públicos que não obedecem hoje à lógica do loteamento político. O interesse público foi inteiramente submetido à dominação partidária. O poder foi tomado de assalto e sai-se melhor quem consegue pilhar mais. Não há faxina cosmética que dê conta disso.

Em sua edição de ontem, o jornal O Globo mostrou mais instituições públicas soterradas em escândalos. O BNB está sob domínio de petistas cearenses envolvidos em negócios suspeitos. Generoso com devedores, o banco deixou de cobrar dívidas de R$ 1,5 bilhão.

Já a Codevasf é disputada por petistas e socialistas piauienses por administrar a bilionária obra da transposição do rio São Francisco. O que atrai os comensais é um contrato de R$ 3,9 bilhões que deve ser engordado em pelo menos mais R$ 1 bilhão por conta de aditivos – a melhor oportunidade de negociata que existe na praça.

Completa a lista d’O Globo a Funasa. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal têm em mãos munição para investigar desvios de recursos na compra de combustível e no pagamento de horas de voo na região amazônica, sem contar gastos irregulares em convênios sem prestação de contas do órgão.

Mas o Dnit, claro, não poderia ficar fora da nova leva de irregularidades. Segundo a edição de domingo de O Estado de S.Paulo, obras administradas pelo órgão já encareceram R$ 2,6 bilhões, muitas delas acima do limite legal de 25%. Entre 1.807 contratos ativos, 107 apresentam aditivos que duplicaram o valor inicial dos contratos.

É certo que os parlamentares gostariam de se dedicar a uma agenda que impulsionasse o desenvolvimento do país e o preparasse melhor para as tempestades que se avizinham. Mas ela não existe. Não há avanço possível sob o peso da corrompida estrutura estatal que mina o poder público. Só uma limpeza geral, do primeiro ao último escalão, poderia dar conta disso.




O 13º Salário NUNCA Existiu...

Os Trabalhadores recebem o que já trabalharam e não um

adicional. 13 NÃO É PRÊMIO, NEM GENTILEZA, NEM CONCESSÃO.

É SIMPLES PAGAMENTO PELO TEMPO TRABALHADO NO ANO!

Os trabalhadores ingleses recebem os ordenados semanalmente!

Mas há sempre uma razão para as coisas e os trabalhadores ingleses,

membros de uma sociedade mais amadurecida e crítica do que a nossa,

não fazem nada por acaso!


Ora bem, cá está um exemplo aritmético simples que não exige altos conhecimentos de Matemática, mas talvez necessite de conhecimentos

médios de desmontagem de retórica enganosa.


Lembrando que o 13º no Brasil foi uma inovação de Getúlio Vargas,

o “pai dos pobres” e que nenhum governo depois do dele mexeu nisso,

nem mesmo o “governo dos trabalhadores”.


Perguntarão porquê.


Respondo: Porque o 13º salário não existe.


O 13º salário é uma das mais escandalosas de todas as mentiras dos

donos do poder, quer se intitulem “capitalistas” ou “socialistas”, e é

justamente aquela que os trabalhadores mais acreditam.


Eis aqui uma modesta demonstração aritmética de como foi fácil

enganar os trabalhadores.


Suponhamos que você ganha R$ 700,00 por mês. Multiplicando-se

esse salário por 12 meses, você recebe um total de R$ 8.400,00 por

um ano de doze meses.

R$ 700 X 12 = R$ 8.400,00


Em Dezembro, o generoso governo manda então pagar-lhe o

conhecido 13º salário.


R$ 8.400,00 + 13º salário = R$ 9.100,00


R$ 8.400,00 (Salário anual) + R$ 700,00 (13º salário) = R$ 9.100

(Salário anual mais o 13º salário)


O trabalhador vai para casa todo feliz com o governo que mandou

o patrão pagar o 13º.


Agora veja bem o que acontece quando o trabalhador se predispõe

a fazer uma simples contas que aprendeu no Ensino Fundamental:


Se o trabalhador recebe R$ 700,00 mês e o mês tem quatro semanas,

significa que ganha por semana R$ 175,00..


R$ 700,00 (Salário mensal) / 4 (semanas do mês) = R$ 175,00

(Salário semanal)


O ano tem 52 semanas. Se multiplicarmos R$ 175,00 (Salário semanal)

por 52 (número de semanas anuais) o resultado será R$ 9.100,00.


R$ 175,00 (Salário semanal) X 52 (número de semanas anuais) =

R$ 9.100.00


O resultado acima é o mesmo valor do Salário anual mais o 13º salário


Surpresa, surpresa? Onde está, portanto, o 13º Salário?


A explicação é simples, embora os nossos conhecidos líderes nunca

se tenham dado conta desse fato simples.


A resposta é que o governo, que faz as leis, lhe rouba uma parte do

salário durante todo o ano, pela simples razão de que há meses com

30 dias, outros com 31 e também meses com quatro ou cinco semanas (ainda assim, apesar de cinco semanas o governo só manda o patrão

pagar quatro semanas) o salário é o mesmo tenha o mês 30 ou 31 dias, quatro ou cinco semanas.


No final do ano o generoso governo presenteia o trabalhador com um

13º salário, cujo dinheiro saiu do próprio bolso do trabalhador.


Se o governo retirar o 13º salário dos trabalhadores da função pública,

o roubo é duplo.


Daí que, como palavra final para os trabalhadores inteligentes: não

existe nenhum 13º salário. O governo apenas devolve e manda o

patrão devolver o que sorrateiramente foi tirado do salário anual.

28/07/2011 - 18:35

Controladora da Unidas

reforça aposta no Brasil

SAG vende participações em Espanha e Polônia para reforçar no Brasil

Helder Castro


Brasília - A portuguesa SAG-Soluções Automóvel Globais decidiu vender as participações em Espanha e na Polônia para reforçar investimentos no Brasil, onde controla a locadora rent-a-car Unidas, uma das principais operadoras do setor.

Fundada há 25 anos, a Unidas é detentora da segunda maior frota de locação de automóveis do Brasil, com 29 mil veículos distribuídos por mais de 100 pontos de atendimento. A empresa conta com aproximadamente 800 colaboradores e 300 mil clientes.

No início da semana, o grupo presidido por João Pereira Coutinho vendeu as participações detidas na sociedade espanhola Santander Consumer Iber-Rent e na sociedade polaca Santander Consumer Multirent, Sp, correspondentes a 40% dos respectivos capitais sociais.

Com estas alienações, cessou também a parceria estabelecida em 2006 com o Banco Santander Consumer, na área do aluguer operacional de viaturas.

De acordo com comunicado enviado, terça-feira (26), à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SAG informa que "as transações celebradas terão um impacto negativo nas Demonstrações Financeiras relativas a 30 de Junho de 2011, através do reconhecimento de imparidades no valor total de cerca de 20 milhões de euros".

O grupo de João Pereira Coutinho, com investimentos em diversos setores de atividade, destaca que com estas alienações conclui "um longo processo de reorganização corporativa, que incluiu a alienação de um conjunto de ativos considerados não estratégicos para o seu desenvolvimento futuro, e a forte capitalização do seu negócio automóvel no Brasil".

A SAG avalia que "a Unidas está agora dotada dos recursos necessários para aproveitar na sua totalidade o potencial de crescimento e valorização das suas atividades".

Em Portugal, o grupo continuará com as atividades de importação, por meio da empresa SIVA, e da rede de concessionárias SOAUTO das marcas representadas pelo grupo, designadamente a VW, Audi, Skoda, Bentley e Lamborghini.

Aumento de capital e aposta no crescimento

Há duas semanas, a Unidas concluiu um aumento de capital no valor de R$ 300 milhões, permitindo a entrada de três novos sócios na sua estrutura acionista.

Os novos parceiros da SAG na Unidas são fundos geridos pelas sociedades Gávea, Kinea (esta do grupo Itaú) e Vinci.

Com esta operação, a SAG passou a deter uma participação de cerca de 53% no capital da Unidas.

A entrada destes três sócios ocorre num momento em que a Unidas procura consolidar a estratégia de crescimento com rentabilidade iniciada há cerca de dois anos.

"A capitalização permitirá que a Unidas acompanhe, e eventualmente supere, o ritmo de crescimento do mercado nos próximos anos, além de contribuir para a consolidação da sua estrutura de capital e para conseguir um perfil de dívida mais adequado", afirmou Pedro de Almeida, presidente executivo da companhia, em comunicado ao mercado em junho.

A expectativa é de que eventos como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olimpícos em 2016 tragam bons resultados. Os investimentos da Unidas serão direcionados para as duas frentes de negócios da empresa: locação de carros (“rent‐a‐car”) e terceirização de frotas (“renting” ou AOV).

“A chegada dos novos acionistas, com o histórico de sucesso de cada um e a sua capacidade financeira e de gestão, acontece no momento certo. No ano passado, a Unidas deu início a um longo processo de reestruturação e de melhorias operacionais, e agora está pronta para percorrer uma nova rota de crescimento com rentabilidade”, avaliou Pedro Almeida na nota ao mercado.

O “market share” dos quatro líderes de mercado no mundo é de aproximadamente 85%. No Brasil, os quatro maiores operadores não ultrapassam 45% de participação, o que revela o potencial e a atractividade do mercado brasileiro.

“A expectativa é que a concorrência tenda a ser mais racional nos próximos anos, e que a consolidação aconteça de forma orgânica, dado que os grandes “players” terão capacidade para negociar melhor a frota e captar recursos em condições mais atractivas”, avaliou Pedro Almeida, em junho.

Para a Gávea, Kinea e Vinci, "o investimento na Unidas representa uma oportunidade única de participar numa companhia com uma marca forte e com presença nacional, num mercado em franca expansão e com grandes perspectivas de desenvolvimento, face ao crescimento do turismo interno e aos grandes eventos desportivos dos próximos anos", segundo o mesmo comunicado.




28/07/2011 - 17:45

Brasil vai "reavaliar" programa nuclear

Programa nuclear brasileiro será reavaliado e não tem prazo para definição, diz presidente da Eletronuclear.

Da Redação, com Agência Brasil


Rio de Janeiro - O programa nuclear brasileiro passa por uma reavaliação, sem prazo de definição. O processo revisará custos, tecnologia e impacto ambiental das quatro usinas previstas para serem construídas no Nordeste até 2030, disse quinta-feira (28) o presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro.

"Avaliaremos tudo de acordo com as demandas sociais, sem ficar refém de nenhum grupo", disse o presidente, referindo-se a organizações não governamentais de defesa do meio ambiente.

O presidente da subsidiária descartou suspender o programa nuclear, como fizeram a Alemanha e a Itália, depois do acidente com a Usina Nuclear de Fukushima, no Japão. Na Itália, o programa foi rejeitado em plebiscito e na Alemanha, o governo decidiu desativar todas as usinas nucleares responsáveis por 26% da geração de energia naquele país até 2022.

"A revisão [do programa brasileiro] indicará que precisaremos de alguma coisa. A percentagem [de energia gerada por usinas nucleares] é pequena [3,19% da matriz energética], mas é a segunda fonte de energia no país. A contribuição é importante para o equilíbrio do sistema".

Pinheiro informou também que o edital de montagem da parte elétrica e mecânica da Usina Nuclear Angra 3 deve ser lançado para construtoras brasileiras na próxima semana. As obras incluirão itens que vão desde a instalação de tubulação no reator, excluindo a construção civil, e custarão cerca de R$ 2 bilhões.

Pinheiro disse que as obras da usina estão dentro do prazo previsto para estar concluída até março de 2012. Ele explicou que o edital previsto para 2010 sofreu atrasos devido à sobrecarga na área de contratações.





Nenhum comentário:

Postar um comentário